CRITICA – HOMEM-ARANHA: SEM VOLTA PARA CASA – C/SPOILER

CRITICA – HOMEM-ARANHA: SEM VOLTA PARA CASA – C/SPOILER

Olá caro leitor!!! Olá internauta!!!

Estamos aqui mais uma vez para analisar o grandioso filme do nosso cabeça de teia.

A Marvel e a Sony fizeram segredos durante as gravações, mas todos nós sabíamos que eles estariam lá, né verdade? Um verdadeiro fan- service, o filme do aranha começa mostrando as consequências do fato de sua identidade ser revelada para o mundo.

Durante as primeiras cenas, acompanhamos um pouco do drama de Peter Parker, que tem a sua identidade secreta exposta. Os acontecimentos sobre como as pessoas, à mídia e os amigos reagem são mostrados rapidamente cena pós-cena. O começo é muito empolgante e leva o telespectador a ansiedade, por saber como essa situação vai se resolver.

Depois de muita aflição, e ao ver seu amigo e sua namorada serem rejeitados pela MIT, Peter tem a ideia de procurar o mestre das artes místicas. Ele encontra a casa do Dr. Estranho via GPS do seu celular, algo que já é bem esquisito. Em seguida pede ao bom Doutor que apague a memória de todas as pessoas, para que elas esqueçam que ele é o Homem-Aranha, para ter sua vida de volta. Um pedido simples, mas que sai errado quando Peter fica tagarelando e interferindo no processo do feitiço.

Tá, vai essa desculpa fraca para dar inicio a trama, mas é assim que começa a treta toda.

Inicia-se uma fusão com outros universos. E de repente surgi na ponte o Doutor Octopus, do universo do Tobey Maguire, que trava uma luta espetacular como o Homem-Aranha, Tom Holland, onde o aranha acaba vencendo.  Acredito eu que seria o momento oportuno para a entrada do aranha do Tobey Maguire. Essa cena é uma das melhores do filme.

A luta é em pleno dia. A imagem esta nítida. Vemos o uniforme de Peter com claridade e os movimentos do Doutor Octopus.

Os efeitos são incríveis, e isso passa a instigar mais ainda quem assiste, pois esse acontecimento praticamente ainda é no começo do filme. A partir daí, o Doutor Estranho, captura o Aranha Tom e o Doutor Octavius, e  explica o que está acontecendo. Diz que outros vilões invadiram a sua realidade por conta da falha do feitiço e delega ao Aranha Tom, ao amigo Ned Leeds e a namorada do aranha que “façam um Scooby-Doo”. Em outras palavras o Doutoro Estranho por ser um herói não deixaria jovens se virarem sozinhos em uma situação tão grave certo? Nessa cena praticamente ele deixa tudo nas mãos dos jovens junto com o Homem-Aranha do Tom Holland.

Ao prender o Duende Verde na prisão magica, Dr. Estranho revela que todos acabam morrendo lutando contra o Homem-Aranha de seus respectivos universos de origem. Então, Peter (Tom Holland) pensando no que sua tia May falou, em tentar curar os vilões e acaba tomando uma decisão. Toma a caixa do Doutor Estranho criou para mandar os vilões de volta para suas realidades.

Homem-Aranha vence o Doutro Estranho dentro do domínios do Dr., uma zona espelhada, rouba a caixa deixando Estranho prezo em algum lugar nos EUA. Um ponto curioso que não faz muito sentido, é que o aranha rouba seu anel magico que abre portais como se ele já soubesse para que servisse o anel.

Quando volta a realidade, Ned fica com o anel do mago, e ao pensar em “Peter Parker” consegue trazer o Peter Parker de Andrew Garfield e o do Tobey Maguire para sua realidade.

A aparição dos dois Peters é muito mal aproveitada, pobre e fraca. A Marvel e a Sony teve a chance de realizar algo triunfal, com uma entrada épica, mas fizeram tudo muito simples, ou também pode ter sido a Sony, vai saber. O Peter do Tobey Maguire diz que ele estava procurando o Homem-Aranha do Tom Holland desde que chegou, como assim? Isso não ficou claro para mim quando ouvi.

Fonte imagens: Internet.

Tantos os Homens-Aranhas quanto os vilões repetiam falas, frases do outro filme toda vez que se viam ou se enfrentavam: “o poder do sol na palma da minha mão” ou a “aranha pode sair para brincar” e “Max você não é um Zé ninguém”, entre outras frases que já ouvimos ao assistir os velhos filmes. Se não escutamos as velhas falas, escutamos os adolescentes gaguejar repetidamente. Cara que coisa chata. ‘‘Eieieiei”, “ououououo”, “paraparapara”, tipos de diálogos assim a todo estante só deixou o filme mais pobre em relação às falas, apenas demonstrava a insegurança dos jovens para resolver os problemas com a captura dos vilões.

Embora Tom Holland obtivesse a missão de passar um aranha mais maduro, as falas desse tipo, mais adolescente não o ajudava, não contribuía muito. Mas é nas lutas, que vemos que o Homem-Aranha do Tom Holland desenvolveu um amadurecimento significativo. E a gente percebe isso no final do filme.

O Lagarto também aparece no filme, e é chamado de dinossauro a todo estante, uma constante piada, mas sua aparição é pouco significativa. Já aparece prezo e no fim é curado e vira o Dr. Conors. O Homem Areia não sabia pelo que lutava. No começo do filme ele diz que só queria voltar para casa para ver a filha, ajudou até o Homem-Aranha do Tom Holland no começo do filme. E no final aparece ajudando os vilões, que queriam e tinham objetivo de ficar na realidade do Tom Holland. Vai entender né?

Podemos dizer que Willem Dafoe estar maravilhoso nesse filme. As lutas que tem com o Homem-Aranha do Tom Holland são emocionantes, envolventes. O Duende Verde é o vilão que da medo, ele é insano. Sua atuação é fantástica e nos surpreende toda vez que aparece. O Doutor Octopus não fica atrás, sua atuação também é incrível.

Em um primeiro combate o Duende Verde leva a melhor e ele consegue vencer o Homem-Aranha, matando sua tia May. Um ponto negativo que achei na história, uma vez que, se a tia May morre qual o parente que Peter Parker tem agora?

A tia May evoca a frase que “Com grandes poderes vem grandes responsabilidades”, antes de morrer.  Na cena poderia ter uma emoção maior se não fosse pela piada em uma cena seria de caso de morte. Onde a tia May está bastante machucada e o Homem-Aranha também.

Fonte imagem: Internet

Um furo que talvez exista nesse ato, é quando Peter chora a perda de sua tia, posteriormente leva um tiro da policia, e quando pensamos que ele vai se tratar, aparece o Homem-Aranha assistindo a uma reportagem do J.J Jameson. Aliais só aparece ele mesmo. A redação do jornal parece nem existir. Não vemos ninguém, a não ser o JJ. Jameson falando. No filme Beth Brait ainda aparece fazendo uma reportagem nas ruas dos acontecimentos.

Como sabemos o Duende Verde é um vilão do universo do Tobey Maguire. E que tinha seus problemas com a personalidade. Na minha visão Norman Osborn o Duende Verde deveria vir já com essa personalidade definida. Ou seja, um pouco mais experiente.  Afinal Norman era o Duende Verde de muito tempo, deveria ter o controle sobre suas ações. Mas o que atrapalha mais ainda é ver o Duende Verde com os mesmo problemas.  Na luta da ponte contra Octopus, quando o Duende aparece, da a entender que ele já estaria autentico, e que vinha para articular algo maior contra o Homem-Aranha do Tom Holland. E é isso que ele acaba planejando no final. Conquistar a realidade onde está.

Peter Parker convoca os vilões através de uma chamada ao vivo pelo celular, mas acena não mostra os espectadores, mais uma vez, só o JJ aparece. E a sensação é de essa cena deveria ter algo mais. As pessoas assistindo por exemplo.

 

Chega a hora do combate final. Tia May está morta e Peter que acabar com seu pesadelo o mais rápido possível. Junto com a ajuda dos outros Homens-Aranhas, cria-se um antidoto para curar os vilões. O humor como já falei está presente em toda parte, se não em todas as cenas, na maioria delas. E abaixo podemos ver a cena mais bizarra que eu Gilson já presenciei nos cinemas em meus 38 anos de vida. O Homem-Aranha do Andrew Garfield estalando as costas do Homem-Aranha Tobey Maguire.

“Em uma guerra vão homens e não crianças”.

A cena de humor antecede o combate, e por isso para mim não me fez sentir a ansiedade nem expectativa do combate. A única expectativa que se tem é que você sabe que vai ter mais humor, e que a toda hora, parece que não vão deixar o telespectador sentir as emoções que o filme quer passar realmente. Peter tem dificuldade em superar a perda da tia May, você só sente que ele ainda está sentido com a perda da tia, quando fica cara a cara com o Duende Verde. O espirito da vingança toma conta do seu ser.

Os Homens-Aranhas conseguem curar todos os vilões. Mas uma bomba do Duende causa um desabamento e vemos uma cena linda, o escudo do Capitão América rasgando os andaimes lado a lado como estivesse descobrindo o monumento da estatua da Liberdade. Neste momento Mary Jane cai e o Homem-Aranha do Tom Holland pula para salva-la, mas é interrompido pelo Duende Verde.  É quando o Homem-Aranha do Andrew Garfield pula e salva a MJ. A cena é emocionante e linda, lembrando a mesma cena com a Gwen Stacy. A atuação de Andrew Garfield é espetacular.

 

A luta contra o Duende Verde é insana. Tom Holland mostra todo seu potencial e o pau rola solto, com Peter dando uma Mega surra no Duende Verde, o levando ao chão. O Homem-Aranha do Tom Holland está cheio de ódio e quer vingança, está preste a matar Norman, mas é impedido pelo Homem-Aranha do Tobey Maguire, que ao fazer isso quase morre com uma perfurada nas costas. Só não morre porque o humor está ali para salva-lo. Pois uma perfurada dessas se não morresse demoraria alguns dias, para se reabilitar.

O filme Homem-Aranha: sem volta para casa é um excelente filme. Pode se tornar um dos maiores do amigão da vizinhança.  O filme tem ação emoção e muitas surpresas ao longo da jornada. O que citei aqui como critica pode ser mero detalhe mediante a empolgação que o filme passa através do fan-service. É sem duvida um pequeno passo para o que vem por aí.

A nota que dou é 08 (oito). Sem divida é a melhor época para nosso Homem-Aranha nos cinemas, vamos aproveitar cada segundo

 

Artigo de: Gilson Arruda

Postagem de: André Paes

 

Obrigado por ler e até a próxima se Deus quiser.

Total de 196 visualizações

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Open chat
1
Olá
Podemos ajudar?