Trilogia: A Busca do Graal – O Andarilho.

Trilogia: A Busca do Graal – O Andarilho.

Sinopse:

Segundo romance da série A busca do Graal, de Bernard Cornwell, iniciada com O Arqueiro, livro que chegou às listas de mais vendidos em todo o mundo, inclusive no Brasil. Neste novo romance, a aventura começa em 1346. Os ingleses invadiram a França e os escoceses a Inglaterra. São tempos incertos e obscuros, e o primeiro que encontrasse o Santo Graal ― uma espécie de tesouro guardado por anjos e procurado por demônios ― seria considerado vitorioso. Thomas de Hookham, jovem arqueiro inglês, que aos 18 anos viu o pai morrer em seus braços após um ataque de surpresa, deixa a França, seguindo para as Ilhas Britânicas em busca do cálice e do assassino de seu progenitor. Filho bastardo do homem que dizem ter chegado mais perto que qualquer outro do cálice, Thomas tem uma grande e secreta vantagem sobre todos. Um diário escrito em latim, hebraico e grego ― uma espécie de código ― deixado por seu pai, que parece conter informações sobre o tesouro escondido. Mas o destino parece desafiar o jovem arqueiro. Bernard de Taillebourg, inquisidor francês, está à caça de Thomas ― e do precioso diário de seu pai. Para completar, por trás de Bernard está alguém ainda pior, o calculista Cardeal Bessières, que almeja o mais poderoso e supremo dos cargos, o papado, algo que só o Graal poderia garantir. Para isso, ele seria capaz de absolutamente tudo. Em sua busca desesperada, ele parece contar com o apoio de outros personagens de caráter duvidoso. Mas até quando? Até onde o poder do cálice pode corromper, destruir ou construir alianças?

 

Thomas de Hookham (imaginação)

 

Autor: Bernard Cornwell

 

Bernard Cornwell, consagrado autor britânico, teve suas obras traduzidas para mais de 20 idiomas. Seus romances alcançaram o primeiro lugar na lista de best-sellers em vários países e já venderam mais de 30 milhões de exemplares no mundo inteiro. (Mais informações na parte 1)

 

O livro: A Busca do Graal – O Andarilho.

Este magnifico livro tem como fundo o cenário histórico da guerra de cem anos. A Guerra dos Cem Anos foi uma série de conflitos travados de 1337 a 1453 pela Casa Plantageneta, governantes do Reino da Inglaterra, contra a Casa de Valois, governantes do Reino da França, sobre a sucessão do trono francês.

Durante o livro encontramos personagens famosos da História real. Suas atitudes e ações, todas são reais, ou melhor, tiradas da história verdadeira.

Nesta segunda obra, acompanhamos as aventuras de Thomas e seus amigos em busca do santo Graal. Muito embora ele mesmo se recuse a assumir essa tarefa, as circunstâncias sempre o colocam no caminho da relíquia sagrada. O andarilho entrega o mesmo que o primeiro livro, batalhas, tramas e personagens muito bem construídos.

O livro inicia com uma batalha histórica e extremamente violenta entre os escoceses invalidando a Inglaterra. Os escoceses marcharam para Inglaterra. E, agora com o grosso do exercício inglês fora de suas terras. Apenas um pequeno exercício defensor de 3 mil homens vai enfrentar mais de 9 mil escoceses furiosos com ânsia de sangue inglês. Os padres de ambos os lados abençoam seus guerreiros. A cavalaria estremece a terra. Os arqueiros transformam o dia em noite. Uma noite de aço com penas de ganso. Escudos batem, trombetas uivam, homens rugem. O sangue vai correr pelo chão verde, um rio de almas para o inferno.

A trama avança em torno do personagem principal. Tanto para encontrar o santo graal quanto para descobrir mais as origens de Thomas. Vários personagens novos são inseridos e alguns antigos perdidos, com muita tristeza. O padre inquisidor com certeza vai lhe causar ódio tanto quanto o Sr Geoffrey. Pessoas odiáveis. Mais uma vez o primo de Thomas está metido em tudo. E mais uma vez vão lutar uma grande batalha em lados opostos. Will é outro personagem que nos da alegria.

Que história magnífica! Batalhas épicas. Aventura ótima e muita ação. Com pequenos elementos de fantasia. Thomas se mostra cada vez mais evoluído. E, triste pela perca de personagens marcantes.

O cerco à La Roche-Derrien por Charles de Blois o Duque da Bretanha. A matança começa quando o braço de Deus lança a primeira carga de rocha nos portões da cidade.

Que final épico! Mais uma vez as batalhas foram perfeitas. A trama ficou mais densa com mistérios e as perguntas vão se acumulando. Fiquei triste, nervoso e as vezes com raiva de certos personagens. Minhas lágrimas caíram por alguns momentos. Cólera por outros. Com o padre inquisidor e o cavaleiro Sr. Geoffrey(especialmente). E, sem dúvidas o Will é um grande personagem assim como o médico judeu, Mordecai. Robbie foi outro grande personagem inserido. Que faz bem seu trabalho e a história sem ele ficaria pobre! Tem personalidade e o companheirismo de inimigos até se tornarem amigos verdadeiros, Robbie escocês e Thomas inglês.

Uma verdadeira obra de arte, vale muito a pena conferir. Ainda mais com o fundo histórico que enriquece toda a trama. Baseado em fatos.

Fique por dentro da trilogia. Semana que vem a ultima parte – O Herege. 

Total de 69 visualizações

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Open chat
1
Olá
Podemos ajudar?