Subnautica Below Zero traz novidades e foco narrativo para a franquia de sobrevivência

Subnautica Below Zero traz novidades e foco narrativo para a franquia de sobrevivência

Subnautica Below Zero é uma continuação direta de Subnautica (2014), mas expande o universo para águas ainda mais distantes — e também para a superfície.

Com maior foco na narrativa, a sequência traz toda a vastidão do oceano que já vimos no primeiro game, mas também conta com partes em terra firme e outras novidades, como personagens para interagir e dublagem para a protagonista.

Para saber mais sobre tudo o que a equipe da Unknown Worlds, desenvolvedora do game, está planejando para Below Zero, participamos de um evento que mostrou a versão mais atual do jogo com direito a comentários de quem está trabalhando nele.

Se Subnautica Below Zero parece ter muitas novidades que o distanciam do primeiro da franquia, saiba que essa era a intenção da equipe. Cory Strader, diretor de arte do game, explica que não queriam apenas repetir a fórmula do jogo original e, por isso, optaram por mudanças na ambientação.

O clima de isolamento e solidão de Subnautica sai de cena e dá espaço para um foco maior na narrativa, apresentando um mistério envolvendo a protagonista Robin e sua irmã desaparecida, Sam. Enquanto busca por pistas, Robin se depara com outras surpresas, como um fóssil antigo e ruínas alienígenas, que desencadeiam uma segunda história e ainda mais perguntas.

Quanto ao gameplay, além da parte da sobrevivência subaquática, é necessário se preocupar com a temperatura nos momentos em que a protagonista se vê obrigada a sair da água: por ser ambientado no Ártico, o game exige que o jogador gerencie o calor do corpo de Robin para que ela não morra de frio.

Você também pode encontrar essas adoráveis criaturinhas na superfície
Você também pode encontrar essas adoráveis criaturinhas na superfície

Para quem está preocupado com a quantidade de tempo na superfície, os desenvolvedores garantem que é apenas uma pequena parcela da experiência do game, que continua sendo bastante baseada na exploração submarina.

Embora Strader diga que “queriam fazer um jogo novo”, David Kalina, chefe do projeto, afirma que, apesar do desejo de fazer algo diferente, também escolheram manter muitos elementos do primeiro Subnautica — alguns deles, melhorados.

Uma das principais melhorias é a quantidade de detalhes que conseguiram adicionar em Below Zero, tanto em criaturas e vegetação, quanto em novos ambientes e “biomas” variados. Algumas novidades, inclusive, foram reaproveitadas de ideias que acabaram ficando de fora do primeiro jogo, embora os desenvolvedores não especifiquem quais.

Jogadores poderão criar e personalizar suas bases, que contam com salas mais amplas e maiores. Na demonstração, o espaço tinha paredes de vidro e um jukebox. Também passamos na frente de uma base criada por outra pessoa.

Outro aspecto que recebeu uma atenção especial da equipe da Unknown Worlds foi a acessibilidade. Alguns exemplos são a possibilidade de mudar o tamanho da interface de usuário, além de implementar auras para que o jogador entenda mais facilmente com quais objetos pode interagir ou não, e também uma opção que pausa o jogo enquanto o personagem está ajeitando o inventário.

Novos biomas e novas criaturas para descobrir em Subnautica Below Zero

Dentre as criações do jogo talvez a mais interessante seja o veículo modular, chamado de Seatruck — caminhão do mar, em tradução livre. É possível adaptar o veículo de acordo com as necessidades e missões, mas é importante ter em mente que cada módulo colocado faz com que ele se mova mais lentamente.

Ao todo, o jogo conta com três tipos de módulos: um para coletar organismos marinhos ao redor do veículo, um que aumenta o espaço reservado para itens e suprimentos, e o terceiro, que permite que o jogador construa equipamentos enquanto está em uma missão. Mais opções serão adicionadas no futuro.

Seatruck pronto para explorar as profundezas

Se passear por aí em um veículo modular não faz muito seu estilo, saiba que também é possível montar em uma baleia e usá-la como transporte. Embora não seja muito veloz, com certeza é um jeito muito interessante de se deslocar de um ponto a outro.

O jogo está atualmente em acesso antecipado via Steam, e os desenvolvedores ressaltaram que mudanças na história podem acontecer. Além disso, algumas alterações estão sendo feitas de acordo com os comentários e feedback da comunidade.

O estúdio garante que continuará dando suporte tanto ao Subnautica quanto ao Subnautica Below Zero, mas os desenvolvedores também expressaram o desejo de explorar novas direções: a equipe revelou estar trabalhando em um novo projeto que, até o momento, é secreto.

Total de 105 visualizações

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Open chat
1
Olá
Podemos ajudar?